Elias Junior - O Número 1 das Notícias

Homem que esfaqueou Bolsonaro é militante de esquerda

Homem que esfaqueou Bolsonaro era militante da esquerda. Ex integrante o PSOL e defendia LULA LIVRE.

Brasil 2017

Pra mim não é nenhuma novidade que o PT esteja envolvido no atendado a vida de Jair Bolsonaro. Depois de matarem Celso Daniel, Eduardo Campos, Toninho do PT e Teori Zavascki nada mais me surpreende na atual “democracia brasileira” que está ameaçada por estes “fanáticos” contratados pelo PT para eliminar seus concorrentes.

O homem que esfaqueou o candidato à presidência da República, Jair Bolsonaro (PSL), na tarde desta quinta-feira, durante evento em Juiz de Fora, na Zona da Mata, foi identificado, capturado e agredido por militantes. Pouco depois, ele foi preso pela Polícia Militar. Veja o vídeo abaixo

Polícia Militar confirmou que o candidato foi ferido mas não soube informar a gravidade dos ferimentos. Bolsonaro foi atacado enquanto era carregado por apoiadores durante caminhada na Região Central de Juiz de Fora, entre as Ruas Halfeld e Batista de Oliveira.

O deputado mineiro Léo Portela (PR) acompanhou Bolsonaro até o hospital. Segundo ele, o candidato foi atendido e recebeu pontos. “Ele passa bem”, afirmou o parlamentar. Horas antes do ataque, Bolsonaro havia feito um post sobre a violência em seu Twitter. “Impunidade, desarmamento, indicações políticas e corrupção geraram e continuam alimentando os maiores problemas do Brasil: violência, ineficiência do Estado e desemprego.

Tão importante quanto fazer coisas novas, é desfazer essa estrutura criminosa criada pelos últimos governos!”. Pelo Twitter, o filho do candidato, deputado Flávio Bolsonaro (PSL) pediu orações. “Foi apenas superficial e ele passa bem. Peço que intensifiquem as orações por nós”, escreveu. O outro filho dele, Eduardo Bolsonaro, que é deputado federal, também pediu orações.

Adelio Bispo de Oliveira, o homem que esfaqueou Bolsonaro (PSL) em sua caminhada com apoiadores pelas ruas de Juiz de Fora, Minas Gerais, na tarde desta quinta-feira (6), é obcecado pela maçonaria, a quem acusa, em sua página nas redes sociais da internet, de promover a pauta de direitos LGBTs, perseguir o número 13 e “enlouquecer” as pessoas.Postagens sobre a maçonaria e críticas a Jair Bolsonaro tomam a integridade da página no Facebook do homem que esfaqueou Bolsonaro , onde ele também defende a implantação do comunismo no Brasil. Adelio Bispo, 40 anos, é natural de Montes Claros, Minas Gerais. Ele confessou o crime e foi preso em flagrante enquanto era linchado pela multidão que acompanhava o candidato presidencial, informou a Polícia Militar.

 

Fonte

Noticias 2019
  • Compartilhe
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Google Plus
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no WhatsApp

Homem que esfaqueou Bolsonaro é militante de esquerda

Noticias 2019

Pra mim não é nenhuma novidade que o PT esteja envolvido no atendado a vida de Jair Bolsonaro. Depois de matarem Celso Daniel, Eduardo Campos, Toninho do PT e Teori Zavascki nada mais me surpreende na atual “democracia brasileira” que está ameaçada por estes “fanáticos” contratados pelo PT para eliminar seus concorrentes.

O homem que esfaqueou o candidato à presidência da República, Jair Bolsonaro (PSL), na tarde desta quinta-feira, durante evento em Juiz de Fora, na Zona da Mata, foi identificado, capturado e agredido por militantes. Pouco depois, ele foi preso pela Polícia Militar. Veja o vídeo abaixo

Polícia Militar confirmou que o candidato foi ferido mas não soube informar a gravidade dos ferimentos. Bolsonaro foi atacado enquanto era carregado por apoiadores durante caminhada na Região Central de Juiz de Fora, entre as Ruas Halfeld e Batista de Oliveira.

O deputado mineiro Léo Portela (PR) acompanhou Bolsonaro até o hospital. Segundo ele, o candidato foi atendido e recebeu pontos. “Ele passa bem”, afirmou o parlamentar. Horas antes do ataque, Bolsonaro havia feito um post sobre a violência em seu Twitter. “Impunidade, desarmamento, indicações políticas e corrupção geraram e continuam alimentando os maiores problemas do Brasil: violência, ineficiência do Estado e desemprego.

Tão importante quanto fazer coisas novas, é desfazer essa estrutura criminosa criada pelos últimos governos!”. Pelo Twitter, o filho do candidato, deputado Flávio Bolsonaro (PSL) pediu orações. “Foi apenas superficial e ele passa bem. Peço que intensifiquem as orações por nós”, escreveu. O outro filho dele, Eduardo Bolsonaro, que é deputado federal, também pediu orações.

Adelio Bispo de Oliveira, o homem que esfaqueou Bolsonaro (PSL) em sua caminhada com apoiadores pelas ruas de Juiz de Fora, Minas Gerais, na tarde desta quinta-feira (6), é obcecado pela maçonaria, a quem acusa, em sua página nas redes sociais da internet, de promover a pauta de direitos LGBTs, perseguir o número 13 e “enlouquecer” as pessoas.Postagens sobre a maçonaria e críticas a Jair Bolsonaro tomam a integridade da página no Facebook do homem que esfaqueou Bolsonaro , onde ele também defende a implantação do comunismo no Brasil. Adelio Bispo, 40 anos, é natural de Montes Claros, Minas Gerais. Ele confessou o crime e foi preso em flagrante enquanto era linchado pela multidão que acompanhava o candidato presidencial, informou a Polícia Militar.

 

Publicidade