Elias Junior - O Número 1 das Notícias

Procuradoria da República em Belém receberá Centro de Apoio da ESMPU na Região Norte

Acerto foi firmado em reunião nesta quinta-feira (17/01), em Belém, entre o diretor-geral, João Akira Omoto, e o procurador-chefe

ASCOM/MPF

A Procuradoria da República em Belém (PR/PA) irá receber o Centro de Apoio (CAP) da Escola Superior do Ministério Público da União (ESMPU) na Região Norte. O acerto foi firmado em reunião realizada nesta quinta-feira (17/01), em Belém, entre o diretor-geral, João Akira Omoto, e o procurador-chefe, Alan Rogerio Mansur Silva.

Segundo João Akira, o centro irá suprir demanda por cursos presenciais, para as áreas fim e meio, e ampliar a participação principalmente por parte dos servidores (as). “A descentralização das atividades acadêmicas foi necessária para consigamos treinar mais gente, com os mesmos recursos disponíveis. Mesmo com as medidas adotadas para racionalização do orçamento, é impossível treinar todas as 16.607 pessoas que trabalham no MPU em nossa sede em Brasília”.

“O Centro de Apoio na Amazônia permitirá o aperfeiçoamento dos servidores e membros com temas diretamente relacionados com nossas peculiaridades locais que refletem o trabalho dos órgãos do MPU na região, além de trazer treinamentos e simpósios para temas de interesse nacional para atender o público local, permitindo uma maior integração com as instituições do norte do país e ampliando o número de pessoas capacitadas”, disse o procurador Alan Mansur.

A instalação da CAP na cidade paraense irá possibilitar a realização de cursos de aperfeiçoamento, oficinas, simpósios, seminários e bancas examinadoras. A previsão é que sejam realizadas duas atividades por mês.

O protocolo de entendimento entre os órgãos prevê, por parte da PR/PA, o compartilhamento de espaços físicos adequados para o funcionamento de salas de aula e para apoio administrativo, auditório, laboratório de informática e área de convivência e recepção de alunos e docentes. Em contrapartida, a ESMPU fornecerá sua expertise no planejamento de atividades de capacitação, científicas e pedagógicas e compartilhamento de sistemas acadêmicos para inscrição, seleção, registro de frequência e certificação. 

O Projeto - A criação dos centros de apoio da ESMPU foi uma medida necessária para que a instituição pudesse atender de forma mais efetiva o quadro de membros (as) e servidores (as) do MPU, uma vez que a concentração de atividades acadêmicas em Brasília restringe o acesso. Diante do atual cenário de restrição orçamentária, a Escola buscou alternativas educacionais e econômicas que permitissem treinar maior número de pessoas com menor dispêndio de recursos.

A regionalização também vai ao encontro do Plano de Ação para Transversalizar a Perspectiva de Gênero e Étnico-racial, elaborado pela Escola, que sugere a implantação de políticas para estimular a maior participação de mulheres nas atividades acadêmicas como docente e discente.

Este será o quarto Centro de Apoio a ser implantado. Já foram iniciados os processos para a instalação em São Paulo (SP), Porto Alegre (RS) e Rio de Janeiro (RJ). Também há a intenção de implantação no Nordeste.

*Matéria conjunta da PR/PA e da ESMPU

 

Ministério Público Federal no Pará
Assessoria de Comunicação
(91) 3299-0148 / 3299-0212
(91) 98403-9943 / 98402-2708

Fonte

Ministério Público Federal no Pará
  • Compartilhe
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Google Plus
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no WhatsApp

Procuradoria da República em Belém receberá Centro de Apoio da ESMPU na Região Norte

Ministério Público Federal no Pará

A Procuradoria da República em Belém (PR/PA) irá receber o Centro de Apoio (CAP) da Escola Superior do Ministério Público da União (ESMPU) na Região Norte. O acerto foi firmado em reunião realizada nesta quinta-feira (17/01), em Belém, entre o diretor-geral, João Akira Omoto, e o procurador-chefe, Alan Rogerio Mansur Silva.

Segundo João Akira, o centro irá suprir demanda por cursos presenciais, para as áreas fim e meio, e ampliar a participação principalmente por parte dos servidores (as). “A descentralização das atividades acadêmicas foi necessária para consigamos treinar mais gente, com os mesmos recursos disponíveis. Mesmo com as medidas adotadas para racionalização do orçamento, é impossível treinar todas as 16.607 pessoas que trabalham no MPU em nossa sede em Brasília”.

“O Centro de Apoio na Amazônia permitirá o aperfeiçoamento dos servidores e membros com temas diretamente relacionados com nossas peculiaridades locais que refletem o trabalho dos órgãos do MPU na região, além de trazer treinamentos e simpósios para temas de interesse nacional para atender o público local, permitindo uma maior integração com as instituições do norte do país e ampliando o número de pessoas capacitadas”, disse o procurador Alan Mansur.

A instalação da CAP na cidade paraense irá possibilitar a realização de cursos de aperfeiçoamento, oficinas, simpósios, seminários e bancas examinadoras. A previsão é que sejam realizadas duas atividades por mês.

O protocolo de entendimento entre os órgãos prevê, por parte da PR/PA, o compartilhamento de espaços físicos adequados para o funcionamento de salas de aula e para apoio administrativo, auditório, laboratório de informática e área de convivência e recepção de alunos e docentes. Em contrapartida, a ESMPU fornecerá sua expertise no planejamento de atividades de capacitação, científicas e pedagógicas e compartilhamento de sistemas acadêmicos para inscrição, seleção, registro de frequência e certificação. 

O Projeto - A criação dos centros de apoio da ESMPU foi uma medida necessária para que a instituição pudesse atender de forma mais efetiva o quadro de membros (as) e servidores (as) do MPU, uma vez que a concentração de atividades acadêmicas em Brasília restringe o acesso. Diante do atual cenário de restrição orçamentária, a Escola buscou alternativas educacionais e econômicas que permitissem treinar maior número de pessoas com menor dispêndio de recursos.

A regionalização também vai ao encontro do Plano de Ação para Transversalizar a Perspectiva de Gênero e Étnico-racial, elaborado pela Escola, que sugere a implantação de políticas para estimular a maior participação de mulheres nas atividades acadêmicas como docente e discente.

Este será o quarto Centro de Apoio a ser implantado. Já foram iniciados os processos para a instalação em São Paulo (SP), Porto Alegre (RS) e Rio de Janeiro (RJ). Também há a intenção de implantação no Nordeste.

*Matéria conjunta da PR/PA e da ESMPU

 

Ministério Público Federal no Pará
Assessoria de Comunicação
(91) 3299-0148 / 3299-0212
(91) 98403-9943 / 98402-2708

Publicidade