Elias Junior - O Número 1 das Notícias

SAFs investe em alternativas para diversificação de culturas agrícolas

Projeto da MRN promoveu capacitação para 12 produtores rurais

Arquivo MRN

Uma maior diversidade de cultivos torna o ambiente menos suscetível a problemas relacionados a pragas e doenças, além de proporcionar um incremento no teor de matéria orgânica do solo e aumento na produtividade. Pensando nisso, o projeto Sistemas Agroflorestais (SAFs) da Mineração Rio do Norte (MRN) promoveu o curso de Agroecologia e Diversificação, que aconteceu entres os dias 15 e 16 de agosto, na comunidade Boa Nova. 

O objetivo foi discutir com os participantes a agricultura orientada por valores ecológicos, aliando a produção agrícola à educação ambiental. Foram trabalhados conceitos como agroecologia, adubação orgânica, manejo do solo, agricultura orgânica, permacultura, design permacultural e planejamento para diversificação de culturas.

“Observamos durante as visitas técnicas que poucos agricultores utilizam adubação e, geralmente, eles relatam que o motivo é que o adubo químico é caro. Por isso, apresentamos temas como compostagem e a adubação verde, o que despertou neles o interesse de trabalhar essas técnicas para adubar suas plantas e torná-las mais produtivas. Buscamos sempre trabalhar temas que auxiliem no aumento da produtividade dos SAFs, pois isso é o principal interesse dos agricultores”, explica a consultora Juliana Mello. 

Após o curso, os agricultores que participam do projeto realizaram uma reunião de planejamento, pautada nos temas apresentados durante a capacitação. Esse trabalho guiará a implantação das novas espécies e de estruturas para criação de animais, como galinheiro e chiqueiro para cada família.

Para os agricultores, esta foi uma oportunidade para observar pontos de melhoria em suas propriedades. “Foi muito gratificante participar do curso e poder aprender mais. Com isso, nós vamos conseguir aplicar tudo o que aprendemos nas nossas propriedades, pois temos áreas no nosso terreno que poderiam ser mais bem aproveitadas e, por meio do curso e do planejamento, foi possível encontrar boas soluções”, ressaltou a agricultora Maria Hundeia Leão da Silva Rabelo.

O projeto de Sistemas Agroflorestais é parte do Programa de Educação Ambiental (PES) da MRN. O programa é executado em atendimento às condicionantes do IBAMA para o licenciamento ambiental.

Fonte

Comunicação MRN
  • Compartilhe
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Google Plus
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no WhatsApp

SAFs investe em alternativas para diversificação de culturas agrícolas

Comunicação MRN

Uma maior diversidade de cultivos torna o ambiente menos suscetível a problemas relacionados a pragas e doenças, além de proporcionar um incremento no teor de matéria orgânica do solo e aumento na produtividade. Pensando nisso, o projeto Sistemas Agroflorestais (SAFs) da Mineração Rio do Norte (MRN) promoveu o curso de Agroecologia e Diversificação, que aconteceu entres os dias 15 e 16 de agosto, na comunidade Boa Nova. 

O objetivo foi discutir com os participantes a agricultura orientada por valores ecológicos, aliando a produção agrícola à educação ambiental. Foram trabalhados conceitos como agroecologia, adubação orgânica, manejo do solo, agricultura orgânica, permacultura, design permacultural e planejamento para diversificação de culturas.

“Observamos durante as visitas técnicas que poucos agricultores utilizam adubação e, geralmente, eles relatam que o motivo é que o adubo químico é caro. Por isso, apresentamos temas como compostagem e a adubação verde, o que despertou neles o interesse de trabalhar essas técnicas para adubar suas plantas e torná-las mais produtivas. Buscamos sempre trabalhar temas que auxiliem no aumento da produtividade dos SAFs, pois isso é o principal interesse dos agricultores”, explica a consultora Juliana Mello. 

Após o curso, os agricultores que participam do projeto realizaram uma reunião de planejamento, pautada nos temas apresentados durante a capacitação. Esse trabalho guiará a implantação das novas espécies e de estruturas para criação de animais, como galinheiro e chiqueiro para cada família.

Para os agricultores, esta foi uma oportunidade para observar pontos de melhoria em suas propriedades. “Foi muito gratificante participar do curso e poder aprender mais. Com isso, nós vamos conseguir aplicar tudo o que aprendemos nas nossas propriedades, pois temos áreas no nosso terreno que poderiam ser mais bem aproveitadas e, por meio do curso e do planejamento, foi possível encontrar boas soluções”, ressaltou a agricultora Maria Hundeia Leão da Silva Rabelo.

O projeto de Sistemas Agroflorestais é parte do Programa de Educação Ambiental (PES) da MRN. O programa é executado em atendimento às condicionantes do IBAMA para o licenciamento ambiental.

Publicidade